quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O Fantástico Milagre de Sempre

Hoje resolvi parar e rever, durante alguns minutos, tudo de bom que tem acontecido em minha vida. Não me interprete mal; escrevo em uma quinta-feira ordinária de Outubro. Nada de especial aconteceu hoje. O dia transcorreu normalmente, e agora está chovendo mais uma vez, aquela chuva miúda e preguiçosa. Há meia hora, comi atum em lata com tomate e ovos. Antes disso, tomando banho, percebi que o xampu está quase no fim. Mas, paralelamente a essas pequenas ordinarices, hoje foi também um dia totalmente mágico.

Coisas incríveis aconteceram desde manhã. Enquanto eu ainda estava dormindo, o universo todo girava e em poucos minutos amanheceu; trata-se de um fenômeno espetacular e até o momento infalível. Depois saí de casa e escapei ileso de mais de uma centena de modos diferentes de morrer. Por alguma razão desconhecida, minha garganta continuou alguns centímetros aberta e pude respirar normalmente. Meu coração pulsou muito bem, o tempo inteiro e sem descanso. Na hora do almoço – veja só que fantástico – tive o privilégio de almoçar. Tive sede também em alguns momentos – não a sede desesperada de quem atravessa um deserto africano – e facilmente achei água para beber. Pude caminhar por aí sem medo de me acertarem com um fuzil ou bazuca, porque não há guerra nas redondezas. Aliás, pude caminhar… não é incrível? Sou tão afortunado que minha reclamação é contra mim mesmo, que preciso emagrecer. Abro os olhos e enxergo. Falam comigo e processo o que querem me dizer, pois consigo entender as pessoas. Pode soar idiota isso, porque para nós funcionar parece extremamente normal… mas não é. Funcionar é um verdadeiro milagre.

Hoje tinha tudo para dar errado, mas após horas de risco imenso estou aqui agora, escrevendo, satisfeito, limpo, abrigado, respirando, e sem dor alguma que me impeça de raciocinar. Tinha tudo para dar errado, as probabilidades eram quase infinitas. Mas milagres aconteceram sucessivamente para que eu estivesse simplesmente sentado neste sofá. Pensando bem, milagres numerosos têm ocorrido consecutivamente durante décadas em minha vida e na história de muitas pessoas que conheço. Apenas um desses milagres já seria motivo suficiente de muita gratidão a Deus, mesmo que os demais não tivessem acontecido. O tempo passou e, por milagre, nós continuamos aqui; mas, infelizmente, acostumados demais com a mágica de estarmos vivos. Cada milagre é digno de uma celebração exclusiva, e milagres que se repetem não deixam de ser milagres.

E é por isso que nesta quinta-feira comum de Outubro, enquanto a chuva perseverante cai do outro lado da janela, sentado neste sofá quero exaltar o Deus maravilhoso. Se algum dia esses milagres não se repetirem mais, não vou me lembrar da rotina perdida para então valorizar e amar o que já não tenho. Mas que Deus nos ajude, que todas as nossas lembranças de dias normais sejam felizes, e no futuro possamos dizer: “Era simples, mas também fantástico; fomos tão ricos que tínhamos até mesmo tudo que precisávamos. E, graças a Deus, a gente soube desfrutar!”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário